Escolha seu idioma
  • 18 3909.9090
    • Com chuvas homeopatia veterinária pode controlar mastite

      Por: Imprensa | Em: 09/01/2020

      No Brasil o começo do ano está sendo marcado por grandes volumes de chuva, superando marcas de 2019 em quase todos os estados. E junto com ela vem o problema da maior incidência de mastite, já que a lama e componentes orgânicos umidificados acabam proliferando a doença no úbere dos animais.

      Por isso, produtores de leite, seja de vacas, ovelhas ou cabras, nestes dias mais chuvosos tem que manter um manejo adequado  para que os animais não sejam acometidos pela mastite. Mas se atingidos pela doença, de acordo com o médico veterinário e gerente nacional do departamento técnico comercial da Arenales Homeopatianimal, André Vinicius de Oliveira, pode gerar perdas de até 80% na produção de leite.

      “O animal infectado com mastite tem um leite impróprio para consumo já que sofre alterações nas taxas de proteína e gordura. Contudo, nesses casos, é necessário fazer o descarte do leite produzido”, destaca ele.

      Segundo o médico veterinário, o animal deve ser separado de modo que não tenha tanto contado com a lama. Quanto ao tratamento, ele pode ser feito de várias formas, mas o que mais tem sido benéfico e rápido é por meio da homeopatia veterinária. “Através da homeopatia, o tratamento é natural, dessa forma, o animal começa apresentar uma melhora logo nos primeiros dias de ingestão dos Fatores Homeopáticos. A desinflamação do úbere é vista dentro de uma semana na maioria dos casos”, conta.

      Outra vantagem que o médico veterinário acredita ser a principal com o uso dos Fatores Homeopáticos, é em relação ao período de carência para que o animal tratado possa ser ordenhado.   “Como não gera resíduos químicos, assim que tratada a doença, já é possível coletar o leite para que possa ser vendido”, frisa ele.

      Share Button